Atos 29 Noticias
Atos 29 Noticias
Quando o Amor Me Salvou da Pornografia
Atos 29 Noticias

Poucas coisas neste mundo são constantes. Mesmo as coisas mais constantes em nossas vidas estão mudando. O sol que nasce a cada dia, com aparente confiabilidade, está morrendo lentamente e acabará por se queimar totalmente. A lua que parece impactar fielmente nossas marés, a cada ano está se movendo 3,8 cm para longe de nós. Este mundo é um ambiente inóspito para a estagnação. As coisas não permanecem as mesmas aqui. O caminho deste mundo é o da mudança, de uma onda implacável de crescimento e deterioração. Mesmo as coisas mais estáveis ​​em nossas vidas estão mudando. As pessoas que amamos estão envelhecendo. As vigas de madeira que sustentam nossas casas estão deteriorando. O solo onde caminhamos em nossas vizinhanças está sofrendo erosão. Nós mesmos estamos desaparecendo, porque o nosso próprio DNA está lentamente se alterando e se desintegrando à medida que envelhecemos.

Mas há algo nesta terra que desafia estes padrões brutais. Que repele a entropia deste mundo e permanece constante, inquebrável, duradouro, continuo, estável, firme e permanente. Hesed – o amor de Deus. Hesed é a palavra hebraica no Antigo Testamento para o amor em aliança de Deus para com seu povo. A palavra significa um amor que não pode ser quebrado, porque está enraizado na aliança de Deus conosco, que não pode ser quebrada.

O amor de Deus é constante. Não mudou e não mudará. Deus é o mesmo ontem, hoje e amanhã, e de forma incrível, assim é o seu amor por nós. A razão pela qual tal constância é possível é porque este grande amor é fundamentado no caráter e ações de Deus, e não em nosso próprio caráter e ações. É duradouro porque está firmemente estabelecido em sua aliança conosco, a qual é baseada na graça. Num mundo violentamente oscilante, hesed permanece. Permanece imutável, firme, constante, verdadeiro.

Esta é a minha história de descoberta do inflexível hesed em minha vida:

Quando me casei, meu pai celebrou a cerimônia. Lembro-me dele segurando um anel de ouro e dizendo: “Este é um símbolo de eternidade. É um círculo perfeito. Um círculo é infinito, sem fim. Continua para sempre. Simboliza o amor de Deus por vocês e o amor que vocês são conclamados a ter um pelo outro”. Em seguida, ele citou: “O amor jamais acaba” (1 Cor. 13:8). Ao ele entregar o anel para a minha noiva, vislumbrei uma inscrição dentro dele, e uma referência da Escritura abreviada: Cantares 6:3. “Eu sou do meu amado e o meu amado é meu.” Ela tomou o anel e o colocou no meu dedo. Então, pelos próximos quatro anos, eu me escondi dela.

Aqueles anos não foram de todo ruins. Havia muitas coisas boas que aconteceram, muitas boas lembranças. Mas eu estava sempre me escondendo. O segredo que escondi era que eu estava vendo pornografia, como fazia desde criança. Era um canto estranho da minha vida que eu havia compartimentado tão bem, que raramente pensava a respeito disso. Talvez eu tivesse escondido isto por tanto tempo que estivesse escondendo isto de mim mesmo. Talvez tivesse mentido sobre isto por tanto tempo que estivesse mentindo para mim mesmo. Nunca me descobriram. Nunca conversamos sobre isso. Ela nunca suspeitou. Eu nunca havia sequer pensado em confessar isto.

Então, num domingo, quatro anos após o nosso casamento, estávamos no culto, e comecei a me sentir desconfortável. O pregador contou uma história da Bíblia de um marido que peca contra sua esposa. O marido confessou a ela o seu pecado, e ela respondeu: Eu sou do meu amado e o meu amado é meu. O pregador observou que a resposta dela é uma declaração de aliança. A mesma estrutura das declarações da aliança de Deus, encontradas em outros lugares nas Escrituras: “Serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo”. Ponto. Sem condições. Sem cláusulas. Ouvi pela primeira vez sobre algo chamado hesed.

Amor da aliança.

Sentado lá no banco da igreja, me mexendo nervosamente no banco, pensei: Que tipo de amor é esse, tão fortemente alicerçado nessa aliança, que não pode ser quebrado? Como não pode ser quebrado se um lado da aliança não for mantido? Comecei a ficar mais desconfortável. Enrubesci. Me mexi. Comecei a suar. Não existe amor que não possa quebrar. Não existe amor que eu não possa quebrar. Oh, eu poderia quebrá-lo, tão mau como sou, com as mentiras que contei, com as coisas que ocultei. Eu poderia quebrá-lo. Não é apenas mais um contrato que diz: “Vou amá-la se você me amar”? O amor é como tudo na terra, sujeito a condições. Mas esse amor – esse hesed – é uma aliança que diz “Eu sou seu e você é meu … para sempre”. Nenhuma cláusula condicional. Oh, Deus, eu poderia me afastar por um milhão de quilómetros e tu me alcançarias. Mudei-me para um lugar a 5.000 km para me esconder de ti, e tu me encontraste aqui. Não consigo escapar de teu amor, ou quebrar teu amor. Com tudo que já fiz, tu ainda me amas. Tu me amas, não importa o que … para sempre. “O amor jamais acaba”.

Após o culto, caminhamos para um parque nas proximidades, e confessei tudo para a minha esposa. Naquele dia, a adorável bondade de Deus – sua longanimidade, a afeição inquebrantável e paga com sangue – me levou ao arrependimento. E, de forma incrível, ela me perdoou. Até hoje, sua resposta é um dos maiores demonstrações de hesed que já vi. Ela respondeu com o amor da aliança.

Poucos dias depois, eu estava lavando minhas mãos, e quando peguei meu anel da borda da pia para colocá-lo novamente, notei o que estava gravado. Não tinha reparado nisto há anos. As palavras de meu pai ecoaram em meu cérebro. O círculo de ouro parecia descrever perfeitamente a passagem gravada nele.

Eu sou do meu amado e o meu amado é meu (Cantares 6:3).

Traduzido por João Pedro Cavani

fonyte https://coalizaopeloevangelho.org/article/quando-o-amor-me-salvou-da-pornografia/

Deixe um comentário

× Fale com Apostolo Helio?